Maresia 36 anos 03/04/2022 07h00 | BY Falkner Moreira

118

Em Fortaleza, uma concentração estrondosa de surfistas na década de 80 favoreceu que um homem desse lugar ensolarado tivesse uma ideia: “Vou vestir meus amigos pra cada um ser parte da mesma galera.” Esse era Luís Henrique, a quem todos conhecem por Maninho. Esse cenário ganhou forma e nome: pelo ano de 1986, surgia a MARESIA.

A entrada da nova marca no mercado foi no surf já de cara! “Foi fácil porque eu já tava no meio. Eu não surfava, mas conhecia muita gente que surfava. O que eu queria era vestir todos eles, então a marca já começou com foco no surf”, conta o fundador.

Maninho nunca esteve só nessa jornada. Pouco depois que a Maresia surgiu, seu amigo e atual sócio, Adriano Costa Lima, também apostou suas fichas nessa nova marca. “A gente se conhecia desde a infância, morava no mesmo bairro. Decidimos ir fazendo algumas peças com costureiras e montamos uma oficina. Foi quando a gente foi realmente criando um negócio”, comenta Adriano.

No início tudo que produziam era vendido a pronta entrega, e logo veio a primeira loja no bairro Fátima, assim como a expansão através de representantes. Mas esse crescimento também ganhou força com os torneios de surf.

 

“O surf já foi forte há 20 anos. Mas hoje tá mais.”

Adriano

 

Com a proximidade da Maresia a quem estava de verdade no mar como atleta amador e profissional, o ganho de território do esporte no estado e no Brasil impulsionou o sucesso da Maresia. Para Adriano, “os campeonatos mostraram que a gente seguia o caminho certo, porque a Maresia foi ganhando capilaridade ao mesmo tempo que o surf também ganhava mais força como esporte.

 

Surf e Moda: feitos de pessoas

“O maior parque industrial da América Latina” – assim foi chamado por muito tempo o complexo industrial Sand Beach, ao qual a Maresia faz parte, com mais de 20 mil m². O setor industrial depende da operação de pessoas, por mais que tenha 85% dos processos automatizados.

As lojas, o atendimento ao cliente, a relação com os atletas patrocinados: tudo tem a base na socialização, com mais de 750 colaboradores fazendo a marca ganhar vida e ter presença em todo o país, nos mais de 3.500 pontos de venda.

Para mostrar todo esse trabalho ao mundo e espalhar o estilo da Maresia no meio profissional dos esportes no mar, o Time de atletas cumpre esse papel. Hoje, esse grupo seleto de atletas envolve surfe, bodyboard e kitesurf. Entre os surfistas temos Jadson André, Artur Silva, Thiago Eduardo, Larissa dos Santos e José Braq. Roberto Bruno compõe a frente do bodyboard. E na trip dos ventos e do mar, Carlos Mário Bebê e Mikaili Sol.

 

Grande futuro no horizonte

 

Para Maninho, a maior herança que o surfe trouxe para a sua vida foi a simplicidade: “Hoje eu sei que não preciso viver com tanto. Posso ter menos coisas, comprar menos, morar em um lugar menor. Eu tirei muita coisa da minha vida e tenho bem menos dentro de casa. Não tem preço pra o que eu posso ter com minha família. Hoje eu faço questão de chegar em casa mais cedo e só brincar com meu filho.

 

“Você não precisa viver com tanto”

Maninho

 

Se de um lado Maninho exalta a tranquilidade de aproveitar uma brisa com os pés na areia, Adriano procura entregar o máximo de si em cada um de seus projetos pessoais e profissionais.

Para ele, é o ofício que pode trazer grandes transformações: “O trabalho engrandece a gente. Pra mim é uma satisfação. O importante é saber aproveitar cada momento do trabalho com vontade e enxergar lá na frente o momento de lazer.”

Entre eventos, campeonatos, novidades da moda masculina, estilo único, linhas infantis, femininas e plus size, não tem como negar... Se for pra falar da história do surf no Ceará, é dela que todos vão lembrar: Maresia – no passado, no presente e no futuro, foi e continuará sendo ela lado a lado com todos que um dia toparam subir numa prancha.

Aviso Sobre Cookies:

Esse site utiliza cookies para personalizar anúncios e melhorar a sua experiência. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.